quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Pacientes com AVC voltam a andar após o uso de células-tronco!!!

As pessoas sofreram com um AVC tiveram uma notável melhoria na fala, força e na sua mobilidade após transplante de célula sem seus cérebros. Sendo que alguns pacientes até mesmo recuperaram sua capacidade de locomoção.

Ainda é muito cedo para falar em uma terapia comercial, mas o sucesso deste ensaio sugere seriamente na capacidade do cérebro de se curar. Sendo possível recuperar a funcionalidade perdida.

"Uma mulher de 71 anos só conseguia mover o polegar esquerdo no início do tratamento.Ela agora pode caminhar e levantar o braço acima da cabeça”, disse o neurocirurgião e pesquisador principal, Gary Steinberg, da Universidade de Stanford (EUA).

Este é o segundo estudo que analisou como injeções de células-tronco no cérebro do paciente podem melhorar a recuperação do AVC. O primeiro realizado no Reino Unido, no ano passado, também mostrou resultados promissores em pacientes após um ano de tratamento.

Como funciona o processo?
A técnica consiste na injeção de células-tronco através de um furo no crânio em regiões do cérebro que são conhecidas por controlar os movimentos motores e que foram danificadas por acidente vascular cerebral.

A equipe ainda não sabe exatamente como isso ajuda na mobilidade, mas com as células-tronco parece que o cérebro tem a chave para se tornar "jovem" novamente. As células-tronco injetadas são as chamadas células mesenquimais. Neste processo foram doadas por dois voluntários saudáveis ​​e geneticamente modificadas para expressar um gene chamado Notch1 - conhecido por desencadear o desenvolvimento cerebral em bebês. Cada paciente recebeu cerca de dois, cinco ou 10 milhões dessas células.

Por mais promissor que pareça promissor, ainda há muito a ser feito antes que isso se torne um tratamento viável. Mas há razão para ficarmos animados. Os resultados mostram que o tratamento é seguro e pode ser capaz de restaurar movimentos anteriormente perdidos após AVC. O estudo ainda sugere que o tratamento com células-tronco pode promover a recuperação de pacientes um tempo depois de ter sofrido um acidente vascular cerebral.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Lutador do UFC, Rockhold realiza tratamento com células-tronco para curar seu joelho


Ex-campeão peso-médio (84 kg) do UFC, o americano Luke Rockhold segue afastado e sem previsão de volta ao octógono. Ainda se recuperando da lesão no joelho que o impediu de enfrentar Ronaldo ‘Jacaré’ em novembro do ano passado, ele foi submetido a um tratamento com células-tronco. 
No entanto, o procedimento contou um detalhe interessante revelado pelo ex-campeão. Afinal, ele precisou ganhar peso e ficar "gordo” para acumular tecido nas costas. De lá, os médicos retiram as células necessárias e injetaram em seu joelho. O resultado iremos observar nos seus próximos duelo pelo UFC (maior evento de MMA no mundo).  
Confira a seguir:

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Células-tronco: Conheça as 3 maneiras com que elas poderão revolucionar a medicina

Células-tronco são células indiferenciadas que podem se multiplicar e se transformar em células especializadas, como ossos, músculos, cartilagem, pele. Em crianças e adultos estas células são encontradas em grandes quantidades e são responsáveis pelo reparo de tecidos lesionados. Assim as células-tronco são recrutadas para o local que tenha um dano ou inflamação para restaurar a função normal do tecido.

Mas à medida em que envelhecemos, a quantidade de células-tronco no nosso corpo começa a diminuir, além disso estas células sofrem mutações genéticas (erros no DNA), que reduzem a sua capacidade de se multiplicar e dar origem à outros tipos de células. Sendo assim, com o passar dos anos, a capacidade de reparo das nossas células-tronco vai diminuindo.

Mas e se você pudesse restaurar sua população de células-tronco?

Uma opção é usar suas próprias células-tronco adultas de fontes como o cordão umbilical, dente de leite e do tecido adiposo (a gordura!). Lembre que quanto mais jovens as células-tronco, melhor! Por isso muitos médicos e cientistas preferem as células-tronco do tecido do cordão umbilical às outras fontes.

Para tentar restaurar a sua população de células-tronco o melhor é injetar células jovens em quantidade, por isso é tão importante ter suas células guardadas! Essas células-tronco podem ser injetadas, por exemplo, em locais que precisam ser recuperados, como em articulações ou administradas por via endovenosa.

Pode-se também pensar nessas células-tronco como “farmácias inteligentes”. Elas entendem o que um determinado local do nosso corpo precisa, gerando fatores de crescimento que podem ajudar a reduzir inflamações, combater doenças auto-imunes, aumentar a massa muscular, reparar lesões e até reconstituir a pele e crescer o cabelo .

Futuro da terapia com Células-Tronco

Na última década, o número de publicações científicas por ano sobre pesquisas com células tronco aumentou 40 vezes. Espera-se que o mercado de células-tronco chegue à US $ 170 bilhões até 2020 nos EUA.

As iniciativas crescentes na pesquisa e desenvolvimento, visando a criação de novas terapias para doenças crônicas e a crescente demanda por uma opção de tratamento regenerativo são os principais impulsionadores.

Neste contexto, algumas áreas se destacam:

1.    Engenharia de tecidos:
Engenharia de tecidos usando células tronco do próprio corpo para reparar, substituir ou aumentar um tecido é um campo em rápida evolução. Os pacientes com uma variedade de doenças poderão ser tratados com tecidos e órgãos transplantados feitos sob encomenda com suas próprias células-tronco. Como enfrentamos uma escassez de tecidos e órgãos doadores, que está piorando anualmente devido ao envelhecimento da população os cientistas trabalhando com engenharia de tecidos estão aplicando os princípios do transplante de células, ciência de materiais e bioengenharia para construir substitutos biológicos que restaurarão e manterão a função normal em tecidos doentes e lesados. Assim as células-tronco são uma peça chave nesta área que está avançando rapidamente, visto que em um futuro próximo, órgãos poderão ser feitos sob encomenda (veja aqui).

2.    Armazenamento de células-tronco:
No momento do seu nascimento, você provavelmente está no ponto de perfeição biológica, suas células são “zero-quilometro”. Seu corpo não foi exposto a todos os estímulos prejudiciais, como poluição, radiação eletromagnética, produtos químicos etc., e seu software biológico (DNA) está intacto. Sendo assim o armazenamento de células-tronco mesenquimais do cordão umbilical nos permite guardar células em seu estado original, com sua maior capacidade. Ao serem guardadas ao nascimento estas células podem se replicar inúmeras vezes, dando origem à um grande número que podem ser utilizadas incontáveis vezes. Outras fontes de células-tronco podem ser armazenadas, como a polpa do dente de leite e o tecido adiposo. Lembrando que o quanto antes armazenar melhor! Ter suas células-tronco guardadas pode ser um fator importante para sua utilização futura. Muitas aplicações requerem uso imediato (como problemas cardíacos, queimaduras) e somente quem tem suas células armazenadas poderá se beneficiar. Por isso é tão importante guardar suas células-tronco o quanto antes.
  
3.    Aplicações clínicas de células-tronco mesenquimais (MSC):
As células-tronco mesenquimais, a menina dos olhos da medicina regenerativa atualmente, têm sido usadas em testes clínicos por aproximadamente 10 anos. Atualmente, inúmeros ensaios clínicos registrados em diferentes fases visam avaliar o potencial da terapia celular com MSC em todo o mundo. Dos modelos animais aos ensaios clínicos, as MSC têm oferecido a promessa no tratamento de muitas doenças. A capacidade das MSCs para se diferenciar em osso, cartilagem, musculo, gordura tem atraído interesse para o seu uso em varias aplicações. Entre elas  estão: doenças inflamatórias intestinais, queimaduras, osteoartrite, diabetes, doença do enxerto contra o hospedeiro, lesões osseas, calvície e outras.

Um exemplo de sucesso: O Tratamento da Doença de Crohn

O tratamento utilizando células-tronco mesenquimais para doença de Crohn já está disponível em alguns países. A Doença de Crohn é uma doença inflamatória intestinal que causa diarreia, cólica abdominal, febre frequente e, às vezes, sangramento retal. Também pode ocorrer a perda de apetite e de peso. Os sintomas podem variar de leve a grave.
A doença é notoriamente difícil de tratar. Até um terço das pessoas que sofrem de Crohn não respondem bem ao tratamento convencional.
A boa notícia é que a utilização de células-tronco mesenquimais (MSC) parece promissora e pode ajudar. Ensaios clínicos mostram que a injeção de MSC melhora muitos sintomas da doença de Crohn. Em um teste clínico, 15 pacientes foram injetados com MSC sendo que, destes, 12 demonstraram resposta positiva ao tratamento e oito pacientes tiveram remissão total da doença.
A terapia com MSC é promissora, não somente por melhorar os sintomas de Crohn, mas também por não ser invasiva, não requerer quimioterapia e ter poucos efeitos colaterais descritos.
Este é mais um exemplo que demonstra o grande potencial das células-tronco mesenquimais e que mostra o quanto é importante preservá-las  para uso futuro.


sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Terapia com células-tronco mesenquimais apresenta resultados positivos no tratamento de idosos

O Instituto Interdisciplinar de Células-Tronco da Escola de Medicina Miller, da Universidade de Miami (ISCI), anunciou os resultados das pesquisas utilizando células-tronco mesenquimais humanas (hMSCs) para o combate à fraqueza associada à velhice. Os resultados foram apresentados na reunião do Encontro Científico Anual da Gerontologica lSociety of America, New Lenson Aging, em Nova Orleans, Louisiana.

Os estudos mostraram que as hMSCs são seguras e eficazes no combate aos sinais e sintomas da Síndrome da fragilidade no idosoA “Frailty” ou Síndrome da fragilidade no idoso é uma síndrome de deterioração do corpo inteiro que pode levar à perda de peso, exaustão, fraqueza, lentidão ou diminuição da atividade física. Os estudos mostraram que as hMSCs são seguras e eficazes no combate aos sinais e sintomas da Síndrome da fragilidade no idoso

O estudo mostra que ashMSCs têm efeitos anti-inflamatórios e pró-regenerativos que promovem com segurança o reparo de múltiplos órgãos. Os resultados sugerem que pessoas de 60 anos ou mais podem se beneficiar e ainda melhorar e qualidade de vida através da terapia com células-tronco mesenquimais.

O estudo consistiu no tratamento de 30 pacientes com média de 60 anos de idade. Dos 30, 10 pacientes receberam 100 milhões de células, 10 pacientes receberam 200 milhões de células e 10 pacientes receberam um placebo. Os indivíduos foram acompanhados por um ano para garantir a segurança e eficácia, que incluiu uma bateria de avaliações para testar variáveis ​​importantes. Os grupos que receberam 100 ou 200 milhões de células mostraram efeitos favoráveis ​​na imunomodulação. No entanto, considerando todas as variáveis, os pacientes que receberam 100 milhões de hMSCs tiveram melhor desempenho nas avaliações, além de uma melhora geral maior do que aqueles que receberam 200 milhões de células.

As avaliações mostraram que tanto o tipo de célula como a dosagem impactaram os resultados. Estes mostraram que as células-tronco mesenquimais humanas são seguras e bem toleradas no organismo, além de serem responsáveis por resultados positivos no tratamento.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Tratamento com células-tronco pode beneficiar a cardiomiopatia dilatada não isquémica

De acordo com os dados de um novo estudo chamado “POSEIDON-DCM”, pacientes com cardiomiopatia dilatada não isquêmico tratados com células-tronco mesenquimais tiveram uma melhora significativa da doença.

"Há uma grande necessidade de um tratamento para miocardiopatia dilatada não isquémica. Esta é uma doença muito crítica que afeta pessoas de todas as idades", afirma o pesquisador responsável pelo estudo.

Todos os pacientes receberam 100 milhões de células por injeção. Não foram observados efeitos adversos no tratamento. Os pacientes que receberam células-tronco aumentaram sua capacidade ambulatória em geral. Em todos os testes realizados pela equipe o grupo tratado apresentou melhora.


Os pesquisadores associam a melhora ao efeito imunomodulador destas células. As células-tronco mesenquimais funcionam como uma farmácia, elas secretam substâncias que podem melhorar sem ter que substituir o órgão danificado. No caso do coração, elas não se transformam em tecido cardíaco, elas secretam fatores que melhoram o tecido danificado.

O grupo está começando outro estudo fase três, último antes da terapia ser liberada para o uso. Portanto, se tudo for como esperado, logo mais teremos um novo tratamento para cardiopatia dilatada com células-tronco mesenquimais!

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Testes Clínicos planejam utilizar células-tronco para restaurar o tecido do coração

Equipes de pesquisadores da Cedars-Sinai Heart Institute, Minneapolis Heart Institute, Scripps Medical Center, University of California em San Diego, Duke Clinical Research Institute, Johns Hopkins Hospital e Columbus Biometrics estão planejando realizar um teste clínico com uma mistura de células cardíacas e células-tronco mesenquimais em pacientes que sofreram ataque cardíaco. O objetivo é regenerar o tecido do coração e melhorar sua função em pacientes que sofreram de infarto do miocárdio.  Veja mais sobre o estudo aqui!!

Os pesquisadores preveem um aumento no numero de infartos de miocárdio visto que a população está envelhecendo mais e devido ao estilo de vida adotado. Com isso esta terapia pode beneficiar muitos pacientes.
O transplante já se mostrou eficiente em pacientes com infarto do miocárdio. Entretanto os pesquisadores vão aumentar o numero de integrantes do estudo. Os pacientes receberão células-mesenquimais de doadores, visto que não é possível retirar células mesenquimais em uma pessoa com infarto de miocárdio e ter células-tronco prontas à tempo do transplante. Os pesquisadores acreditam que estas células-tronco do doador tem baixo potencial de serem rejeitadas após o transplante, mas se estes pacientes tivessem suas células-tronco já guardadas o resultado seria melhor.

Se os pacientes tivessem guardado as células-tronco mesenquimais do cordão umbilical, dente ou gordura não iriam precisar de doadores no caso de um infarto. Por isso a StemCorp sempre alerta para a importância de armazenar as células-tronco mesenquimais para uso futuro, assim você terá células-tronco prontas em casos onde suas células-tronco mesenquimais não podem ser retiradas a tempo de serem utilizadas (queimaduras, infartos...).