terça-feira, 22 de agosto de 2017

Teste clinico de sucesso para reparo de cartilagem com células-tronco é finalizado!

Alguns estudos pré-clinicos e clínicos já mostraram que a utilização de células-tronco mesenquimais para o reparo de cartilagem do joelho é uma terapia promissora. Falamos aqui no blog algumas vezes. 

Agora um grupo holandês publicou na revista StemCells, uma revista de grande impacto internacional, os resultados do novo teste clinico. A estratégia envolve a co-injeção de condrócitos e células-tronco mesenquimais (MSCs). Acredita-se que as células-tronco mesenquimais estimulam a produção de cartilagem do paciente. Esta estratégia foi muito bem sucedida e passou para o próximo teste clinico.

O grupo injetou 35 pacientes e deu um seguimento de 18 meses. As idade dos pacientes foi de 30 ± 8 anos, com um tamanho médio de defeito da cartilagem articular de 3,2 ± 0,7 cm2. Não foi observado nenhum efeito colateral à injeção, sugerindo a segurança do procedimento. E ainda melhor,  o tratamento levou à uma melhora clínica e a uma redução estatisticamente significante na dor, sugerindo ainda mais, a eficácia do tratamento! As imagens de ressonância magnética (MRI) mostraram a presença de tecido de cartilagem recém formado e as amostras da cartilagem no joelho mostraram características de um tecido recém reparado. Mostrando que a terapia que resultou no reparo da cartilagem!


Cada dia que passa mais testes clínicos estão sendo finalizados e publicados em revistas de alto impacto. Mostrando a eficiência do uso de células-tronco mesenquimais para o diferentes tratamentos. Guardar as células-tronco para uso futuro é uma garantia que, em uma necessidade de uso, você terá células jovens com maior potencial de regeneração.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Resultados impressionantes de uso de células-tronco para rejuvenescimento da pele!

Dois médicos brasileiros e um italiano estão conduzindo um estudo que pode representar um dos maiores saltos da ciência para a manutenção da beleza da pele. Os cirurgiões plásticos Natale Gontijo de Amorim e Charles Araújo de Sá realizam no Rio de Janeiro uma pesquisa inédita para avaliar se a aplicação na cútis de células-tronco mesenquimais extraídas do próprio paciente são capazes de promover o rejuvenescimento cutâneo.

Pelos resultados observados até agora, a resposta é sim. Elas reduzem a flacidez de forma impressionante – um dos principais objetivos de qualquer tratamento de rejuvenescimento -, além de assegurarem maior hidratação e viço à pele desgastada pelo tempo. Ao investirem em células-tronco, os três optam por uma das principais apostas da medicina regenerativa da atualidade.

A experiência dos três pesquisadores em relação à pele é a primeira do mundo do gênero a ser feita em seres humanos. As células-tronco usadas são extraídas da gordura do paciente, processadas em laboratório e injetadas na pele do rosto. Na etapa inicial, participaram vinte pacientes com idade entre 45 e 60 anos, todos apresentando flacidez parcial. A aplicação das células curinga foi feita em uma área próxima à orelha, na altura do bochecha. Após quatro meses, a pele tratada foi retirada em um facelifting (procedimento cirúrgico de rejuvenescimento) e analisada na Universidade Federal do Rio de Janeiro e na Universidade de Verona.

Os médicos verificaram que as fibras elásticas (dão elasticidade à pele) danificadas pelo processo de envelhecimento natural ou por agressões externas, como os raios solares, desapareceram e deram lugar à fibras novas, intactas como as encontradas em uma pele jovem.

A equipe da StemCorp foi a primeira no Brasil a isolar células-tronco mesenquimais de tecido adiposo. Ao armazenar células-tronco você garante ter células jovens para uso futuro.



terça-feira, 27 de junho de 2017

Suíça está regulamentando a terapia com células-tronco para doença de Crohn


A Agência Suíça de Produtos Terapêuticos, ou Swissmedic, está regulamentando a utilização de células-tronco para a doença de Crohn, após reconhecer que são necessários melhores tratamentos para esta debilitante. O Comitê de Medicamentos para Uso Humano da Agência Europeia de Medicina estão revisando a terapia celular para fístulas relacionadas a Crohn. A aprovação desta comissão irá levar à liberação do pelo comitê europeu.

A terapia com células-tronco para doença de Crohn já foi assunto do nosso blog algumas vezes (veja mais aqui). A Doença de Crohn é uma doença inflamatória intestinal que causa diarreia, cólica abdominal, febre frequente e, às vezes, sangramento retal.

As células-tronco revelaram-se um tratamento seguro e eficaz (já foram finalizados testes Clínicos fase 3) para fístulas em pacientes com Crohn.  A terapia é derivada de células-tronco mesenquimais retiradas da gordura de lipoaspiração (veja mais aqui).

Além das células-tronco mesenquimais poderem se transformar em outros tipos de tecido, incluindo osso, cartilagem e músculo, estas células tem características anti-inflamatórias e imunomoduladoras. Podendo modificar ou regular funções imunológicas. Sendo assim são perfeitas para terapias de doenças auto-imunes, como a doença de Crohn.